Você está aqui: Página Inicial / Pós-graduação em Educação Especial celebra sua 600ª dissertação

Pós-graduação em Educação Especial celebra sua 600ª dissertação

Pós-graduação em Educação Especial celebra sua 600ª dissertação

Estudante e orientadora junto à banca da defesa (Foto: Christian Savi - CCS/UFSCar)
Estudante e orientadora junto à banca da defesa (Foto: Christian Savi - CCS/UFSCar)
O Programa de Pós-Graduação em Educação Especial (PPGEEs) da UFSCar está com várias razões para celebrar nestes últimos dias de 2017, às vésperas de iniciar as comemorações dos seus 40 anos, em 2018. No dia 18 de dezembro, Júlia Caroline de Araújo defendeu a 600ª dissertação de mestrado produzida no PPGEEs, e, poucos dias depois, o Programa recebeu a confirmação da nota 6 na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que reconhece a excelência internacional de suas atividades.

O trabalho de Araújo, intitulado "Uma heterotopia pedagógica: práticas bilíngues com alunos surdos em salas multisseriadas", foi orientado por Vanessa Regina de Oliveira Martins, docente do Departamento de Psicologia (DPsi) da UFSCar. A autora é professora bilíngue - Língua Brasileira de Sinais (Libras) e Língua Portuguesa - no município de São Carlos desde 2011 e, em sua pesquisa, observou práticas de docentes que, como ela, lecionam em Libras e em salas multisseriadas (com crianças de diferentes faixas etárias e Libras como Língua de instrução). "A pesquisa mostra a qualidade dessas salas, bem como o comprometimento na adequação dos conteúdos ao serem ministrados em Libras. Isto sugere a continuidade de ações e da abertura de salas com instrução em Libras, um tema que tem sido muito debatido, às vezes com opiniões contrárias", conta a orientadora.

"A atuação em salas multisseriadas de surdos é bastante desafiadora e, por essa razão, após cinco anos atuando nesse espaço, entendi que estava na hora de buscar uma formação que aprofundasse meus estudos e, consequentemente, melhorasse minha atuação docente. Agora, com o término da pesquisa, avalio o quanto foi importante continuar atuando como professora durante o mestrado. Por meio dos meus estudos, para além dos objetivos propostos na pesquisa, pude deslocar-me, aprender, refletir ainda mais sobre minha própria prática pedagógica e ressignificá-la também, pois à medida que analisava os dados coletados através da observação das professoras participantes, pude aprender mais sobre mim também", analisa Júlia Araújo. "Para mim, cursar o mestrado na UFSCar era um sonho. Ingressar no PPGEEs era um desejo ainda maior. Quando soube que a minha seria a 600ª defesa, compreendi ainda mais a potência e importância do Programa para a Universidade. Sabia do sólido histórico do PPGEEs, mas não imaginava que já atingia essa marca. Que feliz coincidência, ser a minha a defesa de número 600! Me sinto muito honrada e privilegiada por ter cursado o mestrado neste programa, nesta universidade", expressa a agora mestra. "Fazer parte da história das 600 defesas do PPGEEs, com uma orientação que me deu grande satisfação pelo tema de responsabilidade social e educacional e pelo compromisso da estudante com a investigação, é motivo de imensa emoção para mim. Sou uma das professoras novas no Programa, e posso dizer que a qualidade e o engajamento da equipe como um todo - docentes e secretaria - e a dedicação dos discentes são, sem dúvida, exemplares - dignos da nota 6!", comemora também a orientadora.

A Coordenadora do PPGEEs, Lídia Maria Marson Postalli, também docente do DPsi, avalia que a 600ª dissertação demonstra a consolidação do Programa, cuja área de conhecimento "avança em termos de políticas públicas e desenvolvimento de conhecimento e tecnologia". Além das 600 dissertações, o Programa já tem 185 teses de doutorado defendidas. "O PPGEEs é o único programa de pós-graduação stricto sensu na área de Educação Especial e, ao longo desses anos, a formação de pesquisadores, de docentes, e a formação de profissionais para a Educação Especial estiveram interligadas de modo a contemplar a formação em pesquisa, a internacionalização das ações e seus produtos, a qualidade da produção intelectual e a inserção social. Com a notícia da nota 6, que foi recebida com muita alegria, o PPGEEs reitera seus objetivos de preparar agentes - pesquisadores, docentes e profissionais - para atuar em diferentes regiões do País, em diferentes níveis de formação e na realização e disseminação de pesquisa na área", atesta Postalli.
Reportagem de Mariana Pezzo - Publicado em 21-12-2017 16:00 nas Notícias UFSCar: http://www2.ufscar.br/noticia?codigo=10346