Você está aqui: Página Inicial / Linhas de Pesquisa

Linhas de Pesquisa

Linhas de Pesquisa

A tradição no Programa tem sido a de fomentar as atividades em núcleos de pesquisa e fazer dessas atividades uma condição essencial da formação científica do aluno.

Um núcleo de pesquisa é constituído por grupos de docentes e alunos que trabalham em uma mesma linha ou com uma mesma temática, visando a condução de projetos individuais ou coletivos de investigação atinentes a essa linha e a formação de novos pesquisadores por meio de sua participação nesses projetos, em diferentes graus, sob orientação de um dos docentes do núcleo.

Atualmente, a pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Educação Especial é articulada em função de quatro linhas de pesquisa, que orientam e organizam a atividade científica. 

 

Linha 1 - Aprendizagem e cognição de indivíduos com necessidades especiais de ensino

Investiga processos básicos de aprendizagem e cognição e possíveis comprometimentos desses processos em indivíduos com necessidades especiais de ensino, incluindo deficiência intelectual, autismo ou problemas de aprendizagem. Desenvolve procedimentos para a avaliação e ensino de habilidades complexas. De modo geral, a aprendizagem de indivíduos com deficiências, e especialmente da deficiência intelectual, requer, para sua ocorrência, um controle apurado das variáveis envolvidas no processo. A investigação cuidadosa nessa área pode permitir a identificação de variáveis e parâmetros relevantes e a descrição minuciosa dos processos resultantes. O conhecimento assim obtido pode ser aplicado ao desenvolvimento e avaliação de programas para o ensino desta clientela específica, e também para o ensino de indivíduos com capacidade intelectual considerada normal, especialmente aqueles que, por problemas específicos de adequação da metodologia de ensino, apresentam problemas de aprendizagem. Com base no conhecimento fundamental sobre o desenvolvimento do comportamento simbólico, têm sido elaborados e testados programas diversificados, incluindo versões informatizadas, para o ensino de leitura, escrita e matemática, que incluem variáveis cruciais para a ocorrência bem sucedida da aprendizagem. Os programas têm sido testados experimentalmente com crianças de escolas de periferia que apresentam dificuldades de aprendizagem. Investiga-se também as condições para a incorporação de elementos destes programas à prática pedagógica, e busca-se a construção de programas flexíveis, que possam ser empregados por professores de alunos com graus variados de necessidades especiais.

Orientadores: Antonio Celso de Noronha Goyos, Deisy das Graças de Souza, Lidia Maria Marson Postalli e Nassim Chamel Elias.

 

Linha 2 - Implementação e avaliação de programas alternativos de ensino especial

Desenvolve estudos para a identificação, descrição e superação de necessidades educacionais especiais, propondo, implementando e avaliando cientificamente programas educacionais sistêmicos, considerando o ensino de habilidades específicas, a estruturação de rotinas pedagógicas, a proposição de parâmetros curriculares, propostas de adaptação curricular ou mesmo a análise de programas e serviços de ensino especial. Esta linha enfatiza, também, o ensino de habilidades funcionais e o desenvolvimento de competências no educando público alvo da educação especial, que tenham impacto sobre a sua independência e sua inclusão educacional e social futura. Para tanto, espera-se que tais competências sejam desenvolvidas em uma perspectiva ecológica, privilegiando o ensino em situações o mais próximo possível das condições naturais. Os programas envolvem o ensino de habilidades específicas nas áreas acadêmica, comunicativa, profissionalizante, social ou outras que promovam autonomia e a participação na vida em comunidade. 

Orientadores: Adriana Garcia Gonçalves, Fátima Elisabeth Denari, Gerusa Ferreira Lourenço, Juliane Aparecida de Paula Perez Campos, Maria Amelia Almeida, Maria da Piedade Resende da Costa, Márcia Duarte, Mey de Abreu Van Munster e Rosemeire de Araújo Rangni.

 

Linha 3 - Práticas Educativas e de Prevenção: processos e problemas

Investiga os processos e os problemas nas práticas educativas e nas práticas de prevenção primária, secundária e terciária da pessoa em desenvolvimento, em diferentes contextos de inclusão. Os estudos enfatizam a multiplicidade de interações, e suas resultantes, entre a pessoa público alvo da educação especial e o mundo no qual vive, e propõem a investigação de processos cognitivos, afetivos, motivacionais e sociais, individuais ou de grupo, em qualquer etapa do ciclo vital. Nela destacam-se a identificação e a caracterização de processos e de problemas na família, escola, trabalho, em programas e instituições educacionais e de saúde e nas políticas públicas, bem como a elaboração, execução e avaliação de ações de mediação para o enfrentamento dos problemas e o aprimoramento dos processos. As pesquisas realizadas organizam-se em vertentes que convergem para o aperfeiçoamento das práticas educativas e das práticas de prevenção e para a promoção do desenvolvimento e da aprendizagem dos envolvidos.

Orientadores: Almir Del Prette, Ana Lúcia Rossito Aiello, Carolina Severino Lopes da Costa, Claudia Maria Simões Martinez, Fabiana Cia, Maria Stella Coutinho de Alcântara Gil, Rachel de Faria Brino, Tânia Maria Santana de Rose e Thelma Simões Matsukura

 

Linha 4 - Produção científica e formação de recursos humanos em Educação Especial

Esta linha empreende esforços de meta-análise do conhecimento produzido em Educação Especial no país e do próprio processo de formação de recursos humanos nesta área. O objetivo destas investigações é gerar um conhecimento diferenciado da própria área, para fundamentar a formação de profissionais habilitados a avaliar, implantar, administrar e/ou orientar programas e serviços em Educação Especial. A metodologia da linha contempla as etapas da produção à disseminação do conhecimento científico em Educação Especial. Envolve análises históricas da evolução metodológica e conceitual e das políticas educacionais, com vistas a descrever e avaliar o conhecimento disponível. Envolve também o estudo de como o conhecimento está sendo ou deveria ser disponibilizado para acesso nos cursos de formação para os profissionais da área. Entre os projetos de interesse incluem-se o desenvolvimento histórico e conceitual da área, as políticas educacionais e as concepções subjacentes., Em outra vertente, são focalizados procedimentos de formação, com ênfase no desenvolvimento de programas de ensino e materiais instrucionais, planejados para produzirem mudanças conceituais em profissionais em formação, no tocante às possibilidades educacionais de pessoas com necessidades especiais.

Orientadores: Carla Ariela Rios Vilaronga, Cristina Broglia Feitosa de Lacerda, Cristina Yoshie Toyoda, Enicéia Gonçalves Mendes, Katia Regina Moreno Caiado, Lara Ferreira dos Santos, Maria Cristina Piumbato Innocentini Hayashi, Rosimeire Maria Orlando e Vanessa Regina de Oliveira Martins.